@ Sucesso na parada britânica confirma teoria de fortalecimento do rock de Alice Cooper. Como eu, KAKAO Figueiredo, concordo e vejo isso acontecendo aqui no KKO.Studio, aí vão as Palavras da Tia Alice:

No início do mês, Alice Cooper ganhou destaque na imprensa internacional ao discordar do ponto de vista de Gene Simmons, vocalista e baixista do Kiss, de que os jovens assassinaram o rock e que faz mais de 30 anos que não surge um nome representativo. Ouvido pela NME, Cooper comentou que, no seu ponto de vista, há atualmente muita gente nova no segmento fazendo música boa.

“Há um monte de jovens de 18 anos lá com guitarras e bateria e eles estão aprendendo hard rock. Ocorre o mesmo nos Estados Unidos: há todas essas bandas jovens que querem ressurgir toda essa área do hard rock”, comentou Cooper, acrescentando que o rock nunca acabou e permanecerá vivo para sempre.

O rock and roll andou mandando bem no Reino Unido ao longo do ano passado com um total de 15 artistas de rock ocupando o primeiro lugar na parada britânica de álbuns. Nomes consagrados como Green Day, Bruce Springsteen e Paul McCartney estiveram por lá, mas também rolou espaço para gente da nova safra, como Yungblud, que faz pop-punk, um gênero que também anda conquistando adeptos nos Estados Unidos. Por lá, Machine Gun Kelly chegou ao top 1 da Billboard 200 em outubro de 2020 com Tickets to My Downfall.

Alice Cooper com o seu Novo álbum, Detroit Stories, vem se destacando inclusive nos EUA. Detroit Stories – que estreou na semana passada no topo da parada Sales Chart da Billboard, que classifica os álbuns mais vendidos de forma tradicional. A tabela traz o disco novo de Cooper no topo, dando a ele sua primeira liderança nessa parada em toda sua carreira.

Ouvi o disco e gostei! Pesado e visceral; autêntico, puro Rock and Roll…Isso mostra a força do Rock , que esta vivo e trazendo novos nomes e vertentes. A história do Rock é longa e duradora! Viva o Rock!!!