Mona Vilardo e Bruno Drummond apostam nas campanhas para divulgar sua arte durante a pandemia

Dois lançamentos incríveis para esses dias de distanciamento social são os livros “50 sons de crônica” e “Despedida”. O primeiro tem a cantora, atriz e escritora Mona Vilardo como autora. O segundo é do cartunista Bruno Drummond. O que eles têm em comum? Os dois buscaram incentivo através da catarse, uma plataforma de financiamento coletivo que funciona com uma pré-venda, possibilitando a impressão da obra.

Bruno atingiu sua meta em meados de setembro, ao passo que Mona permanece em sua campanha para levantar o valor necessário. A partir do valor inicial de R$ 25,00 é possível ter acesso ao PDF da obra e um QR code que permite acesso a um vídeo musical exclusivo. Na realidade, são vários valores de acordo com o “bolso” do doador. Mas, se apressem porque o prazo limite da artista é dia 06 de novembro. É só acessar catarse.me/50sons.

financiamento livros Artistas niteroienses lançam obras literárias com apoio de financiamento coletivo

Àqueles que comprarem a ideia, além de ter o seu nome impresso entre os apoiadores, ainda tem direito a alguns mimos, que podem ser conferidos na plataforma. A entrega é realizada na sua casa, sem custo de frete.

Um pouco das obras

Livro musical ou música lida? Essa é uma reflexão que o leitor terá que se fazer ao mergulhar no livro de memórias de Mona. Caprichosamente pensado, suas páginas aliam música a alguns momentos de vida dignos de serem lembrados. E Mona garante: “música é que não vai faltar!”. A edição do livro contou com o apoio de dois grandes amigos.

Maurício Rizzo escreveu o prefácio “lítero-musical”, enquanto Bruno Drummond ficou encarregado do projeto gráfico e das ilustrações. Pai de uma das mais famosas tirinhas do jornal intitulada “Gente Fina”, Bruno ficou famoso por registrar o cotidiano da sociedade carioca na década de 2000, a partir de personagens criados por traços finos e elegantes. Agora, ele que escreve o seu livro, que tem como marca registrada personagens indecentes e diálogos indigestos.