Cinema,
exposições, workshop e visitas guiadas estão entre as atividades propostas em
Abril e Maio 

Por Luana
Dias

Ingrid%2BGuimar%25C3%25A3es%2Be%2BMaria%2BPaula%2Bs%25C3%25A3o%2Bas%2Bestrelas%2Bdo%2Bfilme%2BDe%2BPernas%2Bpro%2BAr%252C%2Bque%2Bser%25C3%25A1%2Bexibido%2Bno%2BEspa%25C3%25A7o%2BCinema%2B %2Bfoto%2Bdivulga%25C3%25A7%25C3%25A3o Programação cultural gratuita agita a Câmara de Niterói
A Câmara de Vereadores de Niterói está promovendo diversas
atividades culturais: cinema, exposições, workshops e visitas guiadas compõem a
programação gratuita e aberta ao público de todas as idades. A Casa Legislativa
– um dos prédios históricos mais belos da cidade –  está prestes a completar 200 anos, que serão
comemorados em Agosto, e mostra o vigor e efervescência em suas programação.
Um dos projetos de maior sucesso coordenados pelo Núcleo de
Cultura da Câmara Municipal de Niterói é o Espaço Cinema. A próxima sessão será
realizada no dia 10 de abril, às 15h, com a exibição do filme “De pernas
pro ar”. Dirigida por Roberto Santucci, e estrelada por Ingrid Guimarães
Bruno Garcia e Maria Paula, a comédia de sucesso conta a história de Alice, uma
mulher moderna e atribulada, que depois de ser demitida e abandonada pelo
marido no mesmo dia, vê a sua mudar por completo. Ela passa a contar com a ajuda da vizinha Marcela para
mostrar que é possível ser uma profissional de sucesso sem deixar os prazeres
da vida de lado. Alice vira sócia da nova amiga em um sex shop falido.
Na quarta-feira, dia 8
de maio, será a vez de outro sucesso ser exibido no Espaço Cinema: a comédia
“Fala sério, mãe!”, estrelada por Ingrid Guimarães e Larissa Manoela,
tem sessão gratuita às 15h. O filme mostra a vida de
Ângela Cristina, mãe
da adolescente Maria de Lourdes. Ela vive a experiência de guiar sua filha
durante uma das fases mais complicadas da vida.
Todas as sessões de cinema são gratuitas, e a distribuição de
senhas acontece 30 minutos antes do início.
 
Exposi25C325A725C325A3o2BQuimera2BSensorial2Bfica2Bem2Bcartaz2Bat25C325A92Bdia2B302B 2Bfoto2Bdivulga25C325A725C325A3o Programação cultural gratuita agita a Câmara de Niterói
Artes plásticas, poesia e workshop
No Salão Nobre, está em
cartaz até o dia 30 de abril a exposição “Quimera Sensorial”, com
obras d
os artistas plásticos Letícia
Mercier e Everaldo Rocha. Com trabalhos consagrados advindos das
exposições “Antologia poética” e “Estratosfera”, os
artistas reúnem pinturas com cores e formas lúdicas e apresentam linguagem sensorial imersiva. Os universos
criativos 
destes artistas
se tocam e também se conectam pela literatura da
poetisa Regina Alves. A exposição tem entrada gratuita, de segunda a
sexta-feira, das 10h às 17h.
No dia 17, o Núcleo de
Cultura da Câmara propõe o workshop “Processo criativo e imaginário das
cores”
. Para
inscrições e agendamento, basta entrar em contato pelo e-mail
[email protected] ou pelo telefone/whatsapp (21) 99942 9180

Rubens%2BCarrilho%2Brecebe%2Bestudantes%2Bno%2BArquivo%2Bda%2BC%25C3%25A2mara%2Bde%2BNiter%25C3%25B3i.%2BAs%2Bvisitas%2Bguiadas%2Bs%25C3%25A3o%2Bsucesso%2Bde%2Bp%25C3%25BAblico.%2B%2BFoto%2Bdivulga%25C3%25A7%25C3%25A3o%2B %2BSergio%2BGomes Programação cultural gratuita agita a Câmara de Niterói
‘Rubinho’ , o guardião da
memória da Câmara
Estudantes,
pesquisadores, professores de História e Arquitetura e o público em geral podem
participar de um ‘tour’ histórico na Câmara de Vereadores, com visitas guiadas
pelo pesquisador Rubens Carrilho, chefe do Arquivo e Documentação do Poder
Legislativo Municipal. Trabalhando há 37 anos na Câmara de Niterói – sendo 10
anos dedicados ao Arquivo – ‘Rubinho’, como é carinhosamente conhecido pelos
colegas de trabalho, é o verdadeiro guardião da memória e do rico acervo da Casa.   
O roteiro inclui o hall
de entrada, com uma explicação sobre as personalidades eternizadas em estátuas
e bustos; o majestoso Plenário Brígido Tinoco; o Salão Nobre Aluízio
Albuquerque Silva do Valle; a Sala de Reuniões Vereador Carlos Magaldi; a Galeria
Carlos Augusto Bittencourt e o Auditório Claudio Moacyr.
Além disso, os
visitantes podem conhecer de perto o acervo guardado de forma cuidadosa no
Arquivo Aluísio Albuquerque Silva do Valle. No local, um corredor com quadros
de antigos prefeitos de Niterói e São Gonçalo, e governadores do Estado do Rio
nos transporta para o ambiente histórico. O departamento guarda documentos de
grande importância..
Visita2Bde2BAlunos2Bdo2BColegio2BUniversit25C325A1rio2BGeraldo2BReis2BFoto2BSergio2BGomes2B2B21 08 20182B2528522529 Programação cultural gratuita agita a Câmara de Niterói
O acervo da Câmara abriga diversas relíquias de nossa história
(fotos divulgação/ Sergio Gomes)
“Nosso
departamento realiza a Restauração de livros de registro, quadros, fotos e
fitas de áudio, entre outros documentos. Temos livros aqui que datam de 1819,
registros de escravos e cartas de alforria, um livro do Papa Pio XII. Entre as
curiosidades, está um documento de 1835 da Câmara de Vereadores que diz que
quem não tomasse vacina, a Câmara buscaria em casa, em possível alusão à vacina
contra varíola. A cada vez que nos debruçamos nos arquivos, fazemos novas
descobertas”, conta Rubens Carrilho.
Um dos achados recentes
foi um documento mencionando a primeira vereadora mulher eleita, em 1936, Edith
Olivier, do Partido Comunista. Em toda a história de 200 anos da Câmara, apenas
12 vereadoras passaram pela Casa Legislativa, em contraste com 836 vereadores
homens, mostrando em números o desequilíbrio entre os gêneros ao longo da História
política.
Outro destaque na
visita guiada é uma urna de madeira de 108 anos. De 1907 até 2006, o voto do
vereador era secreto e este tipo de urna era usada no processo. Hoje, ela virou
uma peça simbólica no arquivo. O acervo conta ainda com seis livros de
registros de escravos, uma raridade já que grande parte destes documentos foram
destruídos e queimados após a Abolição da Escravidão.
Rubens Carrilho revela
inclusive histórias bem-humoradas de supostas assombrações do local. Alguns
funcionários da Câmara, por exemplo, não ousam cruzar o corredor com os rostos
emoldurados dos antigos prefeitos e governadores, com medo dos olhares ali
registrados. Rubens conta também que uma vez a “cigarra” – espécie de
campainha – do Plenário resolveu disparar por volta de meia-noite. Por coincidência,
havia uma equipe de pesquisa que trabalhava na sala, e quando ouviu o barulho,
saíram correndo. Rubens acha que o som foi confundido com uma sirene de
ambulância do Hospital Santa Cruz, mas a verdade é que até hoje o ‘mistério’
ainda não foi totalmente esclarecido.  
Os interessados em
participar da visita guiada podem se inscrever através do email
[email protected] . Mais informações pelo telefone/whatsapp
(21) 99942 9180.