image Maricá anuncia compra de 400 mil doses da vacina Sputnik

O Prefeito de Maricá divulgou em seu Twitter nesta quinta-feira, 11, a aquisição imediata de 400 mil doses da vacina Sputnik V, desenvolvida na Rússia. A quantidade será suficiente para imunizar toda a população. A compra será realizada após sanção de lei federal nessa quarta, 10, que permitiu estados, municípios e setor privado a negociarem as vacinas contra a Covid-19. O prazo para a chegada ainda não está definido já que a produção é feita no exterior e enviada ao Brasil pronta para a utilização.

Segundo informações da assessoria da Prefeitura, a compra foi viabilizada um dia após a sanção do projeto de lei 534/2021 aprovado no Congresso e realizada porque o município se incorporou à articulação feita por governadores do Consórcio Nordeste.

De acordo com Fabiano Horta, desde dezembro o município de Maricá vinha fazendo tratativas para a aquisição do imunizante desenvolvido pelos russos, ao mesmo tempo em que tentava a compra da vacina Coronavac, fabricada pelo Instituto Butantan a partir de um produto da China. “A intenção de compra não tinha sido materializada até aqui por conta da impossibilidade legal dos municípios fecharem as compras diretamente”, acrescenta Fabiano Horta. “Temos a partir de agora todas as condições de avançar mais rápido na imunização da nossa população de Maricá, com a aquisição da vacina Sputnik. Estamos em um momento da pandemia onde dar celeridade é o principal recurso para vencer essbatalha”, completou o prefeito.  

Sobre a vacina Sputnik V

Desenvolvida pelo laboratório Gamaleya, a vacina Sputnik V alcançou eficácia de 91,6% segundo estudo publicado pela revista científica The Lancet. O estudo mostrou, ainda, que 21 dias depois da aplicação da primeira dose, ela foi 100% eficaz na prevenção de casos graves e mortes. Tecnicamente, a vacina Sputnik V usa um método parecido com a da Astra Zeneca, que é a inserção de um pedaço do vírus Sars-CoV-2 em um chamado vetor viral (um adenovírus inofensivo), que é então injetado no corpo. Isso permite que o sistema imunológico reconheça a parte do coronavírus e então crie as defesas contra ele. A diferença entre a vacina russa e a da Astra Zeneca está no fato de que na russa cada uma das duas doses tem um adenovírus diferente, o que reduz a possibilidade de uma eventual resistência do organismo afetar a resposta imunológica.  

Tagged: ,