Exposição
registra o ofício das mulheres algueiras, catadoras e marisqueiras 
EXPO2BSEREIAS As Sereias do Ceará na UFF
Os fotógrafos
Fernanda Oliveira e Sérgio Carvalho documentam há 4 anos a atividade pesqueira
feminina nas praias do Ceará, e apresentam a exposição “Sereias”, um projeto
fruto da pesquisa da dupla realizada com o apoio do Ministério da Cultura, Correios
e da Secretaria de Cultura do Ceará, através do Premio Chico Albuquerque de
Fotografia. A exposição, que acontece com apoio da Sociedade Fluminense de Fotografia (SFF) terá lançamento no dia 21 de julho na Universidade Federal Fluminense, as 19h no Centro de Artes da Universidade Federal Fluminense, precedida de um encontro com os artistas as 17h, com mediação das curadoras do projeto, a dupla Ângela Magalhães e Nadja Peregrino.
De caráter
antropológico, o trabalho reúne imagens realizadas em comunidades pesqueiras de
toda a zona litorânea do Estado do Ceará, registrando sob a luz tropical a
pesca artesanal feminina em cidades de diversas regiões, tais como Fortaleza, Fortim,
Amontada, Itarema, Itapipoca, Aracati e Icapuí. Além da dimensão social e
política, o projeto foca de maneira poética nas relações interpessoais de
mulheres como Cleomar, Márcia, Maria Cabelão e Sidnéia, personagens que
permitem uma dimensão mais intimista do tema. Às fotografias se soma o vídeo
produzido pelos artistas Tibico Brasil e Mika Holanda, que complementa a
abordagem criando um diálogo mais vívido com estas mulheres. Os textos são
assinados pela jornalista Iana Soares.
          O ensaio, pioneiro no tema, visa
contribuir para o reconhecimento e conscientização das mulheres como
pescadoras, e para a preservação e valorização da pesca artesanal como
atividade geradora de renda e desenvolvimento sociocultural das comunidades.
Como destacam as curadoras, no texto de apresentação da mostra, “Fotos, vídeo,
a um só tempo, são atravessados pela força da linguagem, onde um vocabulário
próprio une informação à sintaxe poética em direção à um adensamento da
fotografia documental. Somos, então, contaminados pela luz tropical e pela
composição arrojada – em sua dinâmica de construção e desconstrução – como
também por uma praxis permeada pela ação política e pensamento crítico. A
sensação é que algo escorre entre as brechas do visível. Não há mais o impasse
daqueles que acham louvável estetizar o cotidiano represado pelos grilhões
formais da linguagem. O que está em pauta, neste momento, é uma história liberta
do esquecimento.”
Além da exposição, o
projeto também gera uma plataforma virtual, com a disponibilidade do ensaio
fotográfico completo, além dos vídeos de making off e entrevista do ensaio. A
visualização de todo o conteúdo é gratuita de modo permitir ampla visibilidade
ao projeto
O encontro com os artistas acontece dia 21 de julho, 17h. e a abertura da exposição, às 19h. A visitação está aberta de 22 de julho a 21 de agosto, de segunda a sexta, das 10h às 21h, e sábado e domingo, das 13h às 21h. O Espaço UFF de Fotografia fica na Rua Miguel de Frias, 9, Icaraí – Niterói – RJ.
Haverá ainda uma palestra
com os autores no dia 22 de julho , às 19h, na Sociedade Fluminense de
Fotografia, na rua Dr. Celestino 115, Centro de Niterói e um 
 workshop
“Projeto Fotográfico”, ministrado pelos artistas, no dia 23 de julho,  também na SFF. Mais informações pelo telefone: (21) 2620 1848.