freire Alcides Freire luta pela Saúde, Respeito e Igualdade Social

Com décadas acompanhando as
atividades da classe trabalhadora e suas lutas, principalmente engajado nas
reivindicações das entidades culturais, de assistência social, orientação e
formação profissional, o Senalba atravessa o Brasil,
  buscando melhorias para a categoria dos
Senalbas. SINDAF e SECRAS,
  Alcides
Freire,
  e considerado pelos funcionários
dos clubes, teatros, cinemas e de assistência social,
  um combatente líder,  percorrendo todos os municípios do Estado do
Rio, antes como simples trabalhador, formando-se na função e aprendendo desde
os anos 70 as “ferramentas” para defesa dos que fazem o crescimento do país.

             Chegando a diretoria do
Senalba-RJ, ao lado do saudoso Ademar Reis, foi apoiado para a presidência do
sindicato, função que ocupa com o respeito dos líderes do sindicalismo, tendo o
carinho dos filiados aos Senalbas, hoje ouvido em todo o Brasil: em 2014
organizou o “XXVII Encontro Nacional”, realizado no município de
Búzios, causando discussões pelos trabalhadores pela cultura, assistência
social e gerando com o médico Mauro Romero, professore pesquisador da UFF, para
erradicar as doenças sexualmente transmissíveis -DST- convocando estudiosos no
caminho do bem estar, com a vacinação dos meninos, o que hoje tornou-se uma
prática, apurando a saúde pública para todos.
            “Sem consciência e ética, não
há movimento sindical; sem independência e trabalho não há garantia de
direitos; sem sindicato não há cidadania e justiça social”. Freire virou
um imbatível comunicador desses princípios, como agora percorre o país,
propagando o que as diretrizes sindicais preconizam, manifestando-se em Brasília, com garra e sabedoria
no atual momento.
              Para que serve e o que faz os
movimentos sindicais; o ministério público do trabalho e os direitos dos
trabalhadores são alguns temas propagados pelo líder Alcides Freire, que
pretende reunir ainda este ano mais uma vez, no Rio de Janeiro, os que também
preconizam incansavelmente essa verdadeira Bíblia dos sindicalistas.