maia2B2 Pré-candidato à presidência Rodrigo Maia (DEM) destaca a importância de transferir o Orçamento para os municípios
Rodrigo Maia (DEM)
foto Luana Dias

Por Luana Dias


Primeiro candidato a participar do diálogo com
presidenciáveis, realizado dentro da 73ª Reunião Geral da Frente Nacional de
Prefeitos, o presidente da Câmara de Deputados, Rodrigo Maia (DEM) começou por
frisar a importância de reduzir o tamanho e o peso do do Governo Federal.

” Precisamos inverter esta pirâmide onde a concentração
de recurso esteja na base, e que o Governo Federal exerça outro papel. A concentração
de recursos e poder em Brasília não tem gerado bons resultados aos brasileiros.
Acaba gerando uma ‘romaria’ dos prefeitos à capital, tirando tempo e foco dos
prefeitos para dar atenção aos seus cidadãos. Esta inversão é muito importante,
e falando de forma transparente, só há um orçamento, uma receita. Não podemos
aumentar impostos, temos de diminuir a burocracia e transferir aos municípios
os recursos de forma integrada, e beneficiando a todos”, afirmou Maia.
Em seguida, ele reforçou a importância de investimentos em Saneamento
Básico e Habitação, fazendo inclusive uma crítica ao programa “Minha Casa,
Minha Vida”.
“Muitos investimentos de Minha Casa Minha Vida se
transformaram num problema, principalmente para a classe C. O programa caminhou
para áreas de expansão das cidades, em locais onde não há saneamento,
transporte público ou ainda alternativas da área de saúde e educação. Habitação
não é apenas construir casas, mas ter toda uma estrutura onde haja uma família”.
Na área de Segurança, o pré-candidato lembrou do Projeto de Lei
que propõe o sistema integrado de Segurança Pública, já votado pela Câmara.
“Devemos regulamentar de forma definitiva este projeto
de lei. Os crimes mais violentos atualmente estão relacionados ao tráfico de
drogas, ao tráfico de armas. A forma mais adequada será com esta forma
integrada de pensar Segurança Pública”, defendeu Maia.  
Na área de Educação, o pré-candidato pelo DEM reforçou a
atenção à educação infantil, com ampliação das vagas de creches, dando
oportunidade de estudo desde a creche até o ensino universitário.
“Precisamos pensar em uma política educacional que
volte a atrair jovens de volta para a escola, pensando nas atribuições dos
municípios, governos estaduais e federal. De que forma nesta segunda fase da vida
escolar, como melhorar as notas e o nível. A educação é o único instrumento que
temos”. frisou.
Rodrigo Maia reforçou também a importância no investimento
em Educação Integral.
“O Brizola já falava sobre este assunto – se os CIEP’s
não tivessem sido desmontados, talvez hoje tivéssemos outro nível. Precisamos
pensar de que forma conseguiremos um financiamento maior para o ensino integral”,
momento este que foi aplaudido pela platéia de mais de 100 prefeitos.
Por último, o candidato tocou no assunto da Mobilidade
Urbana.
“O Brasil caminhou numa matriz de produção de veículos, com menos atenção
aos transportes públicos. Não há uma relação entre este setor de produção de
carros, e o investimento que deveria acontecer em rede de metrô, ônibus, etc. A
qualidade de vida passa muito por isso, concentrando o recurso primeiro nos
grandes centros, onde o problema é maior”, finalizou.