Da
contestação política e social ao lirismo da Arte e da Imaginação, as 14 escolas
do Grupo Especial vão deixar sua marca registrada no Carnaval 2019
Por Luana Dias

Luana2BDias2B 2BMangueira2B2528462529 O sonho (e a realidade) do Brasil vão desfilar na Passarela do Samba
Este, definitivamente, não será um Carnaval como os outros.  Já é possível sentir isso ao ouvir os sambas e
ver a potência do ensaio técnico das 14 escolas que compõem o Grupo Especial.
Seja através da voz crítica e de contestação que a Mangueira traz, ao ousar
contar “a História que a história não conta”, seja pelo poder da
justiça clamado pelo Salgueiro, em seu enredo sobre Xangô, a promessa é de
vivermos uma folia que ficará marcada nas mentes e nos corações por muito
tempo.
DSC 4731 O sonho (e a realidade) do Brasil vão desfilar na Passarela do Samba
As apresentações do Grupo Especial se iniciam já com a
audácia do Império Serrano, de reinventar o clássico de Gonzaguinha  “O que é, o que é” em samba,
transportando as batidas de nosso coração para a bateria. Quem poderia imaginar
uma abertura mais sublime?
A Grande Rio, representante de Duque de Caxias, também
decidiu ousar ao transformar em enredo – e até mesmo materializar em alegoria –
a sua “virada de mesa” do ano passado, que permitiu com que a escola
seguisse no Grupo Especial. “Quem nunca…? Que atire a primeira
pedra” dos carnavalescos Márcia e Renato Lage vão falar dos maus hábitos e
dos percalços do famoso “jeitinho brasileiro”.
 Com um samba forte e
contundente, e uma comunidade aguerrida e com vontade de vencer após anos
amargando o vice-campeonato e a terceira colocação, o Salgueiro irá exaltar o
orixá “Xangô”, símbolo da Justiça.
Salgueiro2B 2BLuana2BDias2B2528412529 O sonho (e a realidade) do Brasil vão desfilar na Passarela do Samba
A Beija-Flor aposta  em
sua própria história para conquistar o bi-campeonato. Com o enredo “Quem
não viu, vai ver…As fábulas do Beija-Flor”, a azul-e-branca de Nilópolis
vai contar os seus 70 anos de Carnaval.
Mais leve, a Imperatriz Leopoldinense se inspira numa das
marchinhas mais conhecidas para criar seu enredo: “Me dá um dinheiro
aí?” falará de forma irreverente da relação do homem com o dinheiro, sem
deixar de abordar, inclusive, a dificuldade de realizar o Carnaval deste ano,
após a redução da subvenção por parte da Prefeitura. Já a Unidos da Tijuca tem
“o pão nosso de cada dia” como enredo, trazendo toda a simbologia
deste alimento secular, tão importante nas mesas nos quatro cantos do mundo.
O segundo dia de desfiles do Grupo Especial já inicia sob o
tom de crítica com a reedição de
Portela2B 2BLuana2BDias O sonho (e a realidade) do Brasil vão desfilar na Passarela do Samba

“E o samba sambou”, proposta pela
São Clemente, querendo resgatar a essência do Carnaval como festa. Já a Vila
Isabel, sobe a Serra pra contar as histórias da “cidade de Pedro”.

Com um arrebatador enredo em homenagem à Clara Nunes, a
Portela vem com muita vontade de conquistar o título; a agremiação tem a seu
favor um dos samba mais festejados da safra. Sempre alegre, e com a
participação fiel de seus componentes, a Ilha traz um tema lírico, com o Ceará
visto através de dois grandes escritores: Rachel de Queiroz e José de Alencar.  
Sem fugir do tom de crítica que a consagrou no Carnaval
2018, a Paraíso do Tuiuti vem para desmitificar “O Salvador da
Pátria”, através da sátira lúdica do Bode Ioiô. A agremiação quer mostrar
que conquistou de uma ver por todas seu espaço entre as grandes.
Salgueiro2B 2BLuana2BDias2B2528452529 O sonho (e a realidade) do Brasil vão desfilar na Passarela do Samba
Com um samba que é de longe um dos melhores da safra 2019, a
Mangueira promete incendiar o público da Sapucaí, com mais um enredo assinado
por Leandro Vieira. A menção à vereadora Marielle Franco – assassinada há um
ano, cujo caso ainda não encontrou o seu desfecho – é um dos trunfos da escola.
Personalidades políticas e sociais de diferentes épocas serão lembradas pela
verde-e-rosa, “tirando a poeira dos porões” e abrindo alas para este
Brasil que não figura nos tradicionais livros de História.
A relação do Homem com o Tempo é a inspiração de Alexandre
Louzada para fechar o Carnaval do Grupo Especial, com a Mocidade Independente
de Padre Miguel. A agremiação, que sentiu o peso dos cortes de verba e convocou
os componentes para uma grande força-tarefa no barracão na reta final, aposta
na magia do Carnaval e na força de sua comunidade para ter um desfile digno de
retornar entre as Campeãs. Só o tempo dirá!

Confira
a ordem dos desfiles do Grupo Especial
No domingo, dia 3 de março, passarão pela Sapucaí Império Serrano, Viradouro, Grande Rio, Salgueiro, Beija-Flor, Imperatriz e Unidos da Tijuca. Na segunda-feira, dia 4 de março,
será a vez de
São Clemente, Vila Isabel, Portela, União da
Ilha, Paraíso do Tuiuti, Mangueira e Mocidade.