Cobertura no saneamento básico chegará a 97% na cidade de Niterói
ETE Sap25C325AA 2 Nova Estação de Tratamento de Esgoto do Sapê entra em operação
No Dia do Meio Ambiente, celebrado no dia 5 de junho, foi inaugurada a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Sapê, em Pendotiba. O prefeito Rodrigo Neves e o superintendente da concessionária Águas de Niterói, Alexandre Boaretto, secretários municipais e líderes comunitários participaram da inauguração. A construção é uma parceria da Prefeitura de Niterói com a Águas de Niterói, em um investimento de R$ 36 milhões. A unidade é a nona em operação na cidade e tem capacidade para tratar até 63 litros de esgoto por segundo, atendendo os bairros Sapê, Ititioca, parte de Santa Bárbara e Caramujo. Com a implantação do Sistema Sapê, Niterói chegará a 97% de cobertura no saneamento básico.
O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, enfatiza que o município tem o maior índice de abastecimento de água e tratamento de esgoto do Estado do Rio de Janeiro. A cidade já conta com 100% de água tratada. A meta é atingir 100% do esgoto coletado e tratado em 2020 e se manter como o município que tem o maior índice do Estado do Rio.
“Quando assumimos o governo, em 2013, realizamos uma parceria com a concessionária Águas de Niterói para antecipar investimentos previstos inicialmente para 2026, e assegurar que a cidade ampliasse a cobertura de água e tratamento de esgoto antes do previsto”, afirma Neves. “Fizemos um esforço muito grande e planejamento integrado para a universalização do serviço de água e esgoto. Foram R$ 150 milhões de investimentos neste período, com estações consideradas como as mais modernas do Brasil”.
ETE Sap25C325AA Nova Estação de Tratamento de Esgoto do Sapê entra em operaçãoEntre as conquistas já alcançadas estão o reservatório na Região de Pendotiba, com dois milhões de litros de água, a ETE Maria Paula, que atende os bairros Matapaca e Maria Paula. Outro passo importante foi a duplicação do abastecimento de água da Região Oceânica, atualmente com capacidade de três milhões de litros, além da construção de adutoras no Barreto e em Jurujuba, duas importantes unidades de ponta de linha que passaram a levar água para bairros que sofriam com a falta de abastecimento.
 Niterói é a única cidade do estado do Rio de Janeiro que tem os serviços de saneamento básico rumo à universalização, de acordo com o último Ranking da Universalização do Saneamento desenvolvido pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes). Com 100% de abastecimento de água e 94,5% de coleta de esgoto (desse total, 100% são tratados), Niterói se consolida como o município com os melhores índices do Estado. O ranking da Abes classifica as cidades brasileiras por meio de indicadores de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto, coleta e destinação de resíduos sólidos.
Quando a Águas de Niterói, empresa do Grupo Águas do Brasil, assumiu os serviços de saneamento básico no município, em 1999, a água só chegava a 72% da população, e a cobertura de esgoto era de apenas 35%. Em quatro anos de concessão, a empresa universalizou o fornecimento de água na cidade, abastecendo mais 150 mil pessoas com a mesma quantidade de água. O índice de perdas de água, que era de 40% no início da concessão, chegou a 16%, índice considerado internacional.
 “A ETE Sapê contará com uma tecnologia de ponta utilizada com muito sucesso na ETE Maria Paula. Esse será mais um passo importante rumo à universalização do serviço de coleta e tratamento de esgoto na cidade”, ressalta o superintendente da Águas de Niterói, Alexandre Boaretto.
A Prefeitura de Niterói já definiu a empresa que irá elaborar o Plano Municipal de Saneamento Ambiental (PSA). O objetivo do plano é estabelecer prioridades e metas a serem cumpridas futuramente na cidade, no que tange ao saneamento ambiental. A previsão de conclusão da primeira etapa é dezembro deste ano.
 O secretário municipal de Planejamento, Orçamento e Modernização da Gestão, Axel Grael, explica que o Plano Municipal de Saneamento vai orientar os caminhos a serem adotados pela municipalidade para avançar na excelência dos serviços. Grael enfatiza que o trabalho não se findará quando atingir, por exemplo, os 100% de cobertura no tratamento de esgoto.
“Este é o ponto de partida para podermos focar na despoluição de lagoas e rios que receberam dejetos sem tratamento durante anos. Apesar das conquistas alcançadas no saneamento ambiental em Niterói, o PSA é fundamental”, afirma Grael, ressaltando que o plano contará com quatro frentes de atuação: abastecimento de água, coleta de esgoto, gestão de resíduos sólidos e drenagem. “A ideia é, neste primeiro momento, cadastrar toda a área do primeiro distrito – Centro, Zona Sul e Zona Norte da cidade” acrescenta.