unnamed A Democracia do namoro
João Paulo Petronne
É assim
que está sendo chamado o ato de namorar na atualidade, com as pessoas de todas
as idades se relacionam amorosamente sem a preocupação do preconceito. Entrevistados
pelo CASA DA GENTE, homens e mulheres de faixas etárias e classes diferenciadas
falam sobre o assunto, com transparência e a certeza de que estão convictos nas
suas declarações.
“Pai
estou namorando um colega do colégio, vou trazer aqui em casa”, revela M.
de 14 anos, o que é respondido afirmativamente, sem nenhuma observação.
“Oi
pessoal esta é a minha namorada”, exclama o empresário, Paulo Ferreira, 65
anos, apresentando Marcia Silveira, 38 anos, assistente social e dona de vários
imóveis, ao chegar numa roda de amigos.
Comunicólogo,
mãe de duas filhas de 21 e 23 anos, funcionária pública, divorciada, pessoa de
um equilíbrio invejável, Maria Isabela Medeiros ‘cinquentona’, corpo e feições
de 35, desfila com namorado naturalmente, porém discreta, mas vê que o século
XXI é a democracia na vida pessoal.
Helga2BSouza A Democracia do namoro
Helga Souza
Helga
Souza, 43 anos diz que não tem problema algum com a idade pra namorar e acha
que se pintar um clima legal , deve-se “investir e curtir o momento”.
“Eu saí
de um casamento de 17 anos e um pouco depois já comecei a namorar e apresentei
ao meu pai como se fosse meu primeiro namorado e parecia uma adolescente. Agora
terminamos e assim que aparecer um novo namorado já levarei pra apresentá-lo.
Também sou mãe de 1 casal de filhos que não interferem em meus relacionamentos
assim como eu nunca interferi no deles. Todos nós temos o direito de sermos
felizes independentemente da idade. Amar e ser amado sempre” complementa.
Marcio Lomba, 71 anos, fotógrafo e cinegrafista é o companheiro
de Valdisa Pinho, professora, mais de 60 anos. Eles fazem
questão de frisar “somos namorados mesmo, do tipo que anda de mãos dadas,
curtimos a balada, reuniões de amigos e viajamos muito juntos, extremamente
apaixonados”.
Marcio2BLomba Valdisa2BPinho A Democracia do namoro
Marcio Lomba e Valdisa Pinho
Para o
advogado  João Paulo Pretronne, 30 anos,
namorar hoje é para todas as idades, deixando claro, faz bem a vida e leva a
longevidade.
“Devido
a medicina e, principalmente, a adquirida liberdade social, pessoas de qualquer
idade podem e buscam ter namoros (heterosexual ou homosexual), sem mais a
necessidade de aprovação da sociedade. Considero esta mudança devido a alguns
fatos como: a liberdade conseguida através da mudança de pensamento da
sociedade, o brasileiro está vivendo mais e buscando ter alguém ao lado não
importando a idade que se encontra e a mulher ter adquirido a liberdade de  se relacionar. A existência do namoro,
independente da idade dos parceiros, desde que respeitando o nosso Código Penal
vigente, é ótimo, porque o importante é a nossa felicidade”.