Jovens
músicos de Niterói fazem sucesso no Brasil e no exterior
Vinicius2BOliveira2B 2Bfoto2Bacervo2Bpessoal A vez deles
Vinicius Oliveira: voz suave, violão e cavaquinho
já conquistaram até noruegueses
(foto acervo pessoal)
Eles percorrem
estilos, formações e carreiras musicais diferentes, mas têm em comum a cidade
natal e o talento para a música. Francisco Pellegrini, Vinicius Oliveira e
Gabriel Novotny são músicos de Niterói que estão trilhando uma carreira de
sucesso no Brasil e na Europa. Com muito esforço e dedicação, cada um vem
conquistando seu “lugar ao sol”, com estilos musicais que variam do samba ao
erudito, da bossa ao sertanejo.
O músico
e compositor Francisco Pellegrini tem uma alma nômade. Nascido e criado no bairro de
Santa Rosa, em Niterói, ele já morou no Rio de Janeiro, Buenos Aires e
partiu, desde janeiro, para uma temporada em Lisboa.   
“Preciso
de mudanças de cenário no dia-a-dia, desde as pequenas, como ir tocar em outra
cidade, até realmente se mudar de casa, de cidade ou de país. Gosto de conhecer
e absorver outras culturas e isso funciona como um estímulo para criar”, conta.
Francisco%2BPellegrini%2B %2Bfoto%2Bdivulga%C3%A7%C3%A3o%2B %2BCatarina%2BLoura A vez deles
Francisco Pellegrini: talento “made in Niteroi”
em Lisboa
(foto divulgação/ Catarina Loura)
O
interesse pela música começou bem cedo: aos 4 anos, ele já tocava um teclado de
brinquedo na casa da avó, e aos 7, começou as aulas de piano. A partir daí,
nunca mais parou. Com dois discos lançados – Três”, lançado em maio de
2011;
e “Piano Solo”, em abril de 2014 – o pianista e
acordeonista é também compositor, e já realizou direção musical de peças
teatrais.
Atualmente,
ele trabalha em diversos projetos: Francisco formou um duo com a cantora
portuguesa Fernanda Paulo, e vem apresentando também seu trabalho “Piano Solo”
pelos palcos lusitanos. Porém, o que mais aprecia é estudar a “sonoridade” de
Lisboa.
“Estou
trabalhando a sonoridade do piano ou acordeom com guitarra portuguesa,
violoncelo, trompete, bateria, violão, e dando tempo ao tempo para que esses
encontros ganhem consistência. Me aproximei de algumas pessoas que estudam
improvisação livre e está sendo uma boa experiência” afirma.
Para conhecer
mais o trabalho do músico, basta acessar sua página oficial: http://www.franciscopellegrini.com/br/
O
interesse de Vinicius
Oliveira pela música também veio de berço. Desde a infância, ele passava
horas ouvindo os discos da sua mãe, até ganhar como presente de aniversário de
15 anos um cavaquinho.  Dono de uma voz
suave, sempre carregada de muita emoção, o jovem artista toca cavaco e violão,
com um repertório de samba, bossa, jazz, choro e forró.
Seu talento o levou longe:
Vinicius já participou de quatro turnês na Noruega, conhecendo diversas cidades
do país. No Brasil, fora do eixo Rio-Niterói, ele já se apresentou em Ouro
Preto e participou do Festival Soulvision 2013, em São Paulo.
Gabriel2BNovotny2B 2Bfoto2BdivulgaC3A7C3A3o A vez deles
Gabriel Novotny: versatilidade musical, alcançando
sucesso no Sertanejo
(foto acervo pessoal)

Além da carreira solo, Vinicius
integra desde de 2012 o Trio de Couro e Cordas, com que irá se apresentar no
dia 25 de abril, às 17h, no SESC de Niterói, no show “Se todos fossem
iguais ao Poetinha – 35 anos sem Vinicius de Moraes”. Vinicius também
compõe e não vê a hora de gravar um disco autoral. Ele criou recentemente uma fan page no facebook – Vinicius Oliveira
– onde é possível acompanhar seu trabalho.

Gabriel Novotny é uma
verdadeira metamorfose ambulante. Nascido na década de 80, com influências do
rockn’roll, ele começou a participar na adolescência de grupos musicais na Igreja
católica, formando bandas também na escola. No início da vida adulta, decidiu seguir profissionalmente a
carreira musical, formando-se Bacharel em Música pela UFRJ, com habilitação em violão. Apaixonado por instrumentos, ele está
sempre procurando “desvendar” algo novo:
“Estudei Viola de
Arco, sei onde estão as notas no piano, sopro uma gaita e me arrisco na viola
caipira, mas sou apaixonado por um milhão de instrumentos que ainda quero, com
algum tempo, tirar um som!” conta entusiasmado.
Com uma carreira de
mais de 15 anos, foi no estilo Sertanejo que Gabriel se firmou. Passeando pelo
country, universitário, modões, e todas as vertentes do sertanejo, ele já se
apresentou em várias cidades do Brasil, gravando músicas de grandes nomes do
gênero como Zezé Di Camargo, Fátima Leão, Mato Grosso e Mathias, Valdir Macedo
e vários outros.
            De volta a Niterói, no dia 18 de
abril, às 21h, o Gabriel participa do Projeto Esquina Sertaneja, no Bar da
Esquina, no Trevo de Piratininga.
“O palco pra mim é
um momento de encontro… tem um “quê” de sagrado e de pecado também é quase
inexplicável… Não sei se isso é um diferencial, mas é o como eu sinto, é onde
eu me entrego, onde tudo se potencializa e faz sentido” afirma.
Para saber mais
sobre o cantor, é só acessar www.gabrielnovotnyoficial.com ou a fan page Gabriel Novotny Oficial.

Tagged: , , , , , , ,