Luana Dias, editora do CASA DA GENTE, conquista
prêmio na 1ª edição do Festival de Cinema de Três Passos
Os2Bhomenageados2Bna2Bcerimonia2Bde2Bencerramento2Bdo2BFestival2Bde2BTrC3AAs2BPassos2B 2Bfoto2BdivulgaC3A7C3A3o2BCarlos2BGrC3BCn Cinema em festa
Os homenageados na cerimônia de encerramento do Festival
(fotos divulgação/Carlos Grün)
Com uma programação
intensa que rodou 61 curtas-metragens na mostra competitiva e outros dez
títulos em mostras informativas, o “1º Festival de Cinema de Três Passos”
agitou a cidade do Rio Grande do Sul, durante três dias no mês de novembro.  O evento reuniu um público de cerca de 1.400
pessoas e premiou 15 categorias. A cineasta, jornalista e produtora
niteroiense Luana Dias, editora do CASA DA GENTE, conquistou o prêmio de Melhor
Curta Experimental, com “Un Désert Onduleux” (“Um Deserto
Ondulado”), co-dirigido com o jovem cineasta francês Ludovic de Gaillande.
“Dedico este prêmio à
minha família, aos meus companheiros de equipe, em especial Ludo De Gaillande e
a atriz Désirée Thompson, e à memória de Renée Simon e Roque Bergareche,
homenageados no curta-metragem. Gostaria de ressaltar pela organização do
festival e o carinho com que fui recebida por toda a população da cidade de Três
Passos, e louvar o Cine Teatro Globo, que, há 60 anos mantém viva a cultura e o
cinema brasileiros” falou emocionada Luana, ao receber o troféu. 
Luana2BDias2C2Blogo2BapC3B3s2Breceber2Bo2Bpremio2Bde2BMelhor2BCurta2BExperimental2B 2Bfoto2BdivulgaC3A7C3A3o2BCarlos2BGrC3BCn Cinema em festa
Luana Dias recebendo o troféu de Melhor Filme
Experimental (foto divulgação Carlos Grün)
Após o
anúncio dos curtas vencedores, a cerimônia homenageou a família Levy, que por
gerações tem administrado uma das raras salas de cinema de calçada do Estado, o
Cine Teatro Globo. Também na ocasião, foi prestada homenagem à presidente da
comissão organizadora do Festival, Elvídia Zamin, aos diretores presentes,
Luana Dias e Christian Jafas (Cine Paissandu: histórias de uma geração)​ e foram presenteados os participantes do júri técnico: os cineastas
Pedro Zimmermann e Henrique Lahude, e o crítico de cinema Daniel Feix.
Além
de destacar a história dos 60 anos do Cine Teatro Globo, o Festival celebrou
também os 70 anos do município de Três Passos. A ideia do evento partiu de
moradores do município amantes da sétima arte e contou com o suporte do
Instituto Estadual de Cinema (Iecine), da Prefeitura Municipal de Três Passos,
da Câmara de Vereadores da cidade, além do patrocínio e apoio de diversas
empresas locais.
o2Bpublicou2Bprestigiou2Bas2BsessC3B5es2Bno2BCine2BGlobo2B 2Bfoto2BdivulgaC3A7C3A3o2BCarlos2BGrC3BCn Cinema em festa
O público lotou o Cine Teatro Globo
(foto divulgação Carlos Grün)
O
filme de animação “Guida”,
dirigido por Rosana Urbes, conquistou o prêmio de “Melhor Curta-Metragem pelo
Júri Técnico e ainda Melhor Curta-Metragem de Animação e Melhor Trilha Sonora. Pelo
voto do público, o melhor curta-metragem escolhido foi “Pierre e a Mochila”, filme gaúcho de ficção dirigido por Iuli
Gerbase. O Melhor Curta de
Ficção ficou com “O Caminhão do
Meu Pai”, de Maurício Osaki e o troféu de Melhor Documentário foi para “A Cidade”, de Liliana Sulzbach. Já a
categoria Temática Ambiental premiou o documentário “O Significador de Insignificâncias”, de Fernando Severo e Diego
Lopes.
Cada vencedor recebeu o troféu Alberto Abrahão
Levy, em homenagem ao fundador do espaço de cinema, e um prêmio no valor de
R$500.

O
próximo Festival de Cinema de Três Passos já está confirmado para o ano que
vem, com data ainda a ser divulgada. Para
saber mais sobre o evento, e conhecer a lista completa dos filmes premiados
nesta edição, acesse: http://www.cinematrespassos.com.br/

Tagged: ,