14ª edição do Festival de Cinema em Sergipe traz o conceito de felicidade como tema

Curta SE2Bacontece2Bde2B82Ba2B132Bde2Bsetembro2B 2Bfoto2BVictor2BBalde2BdivulgaC3A7C3A3o Curta-SE 2014
Sessões disputadas no Festival
(foto: divulgação/Victor Balde)
Entre
os dias 8 e 13 de setembro, será realizada em Sergipe a 14ª edição do Festival
Iberoamericano de Cinema de Sergipe (Curta-SE).  Ao todo, foram mais de 500 filmes inscritos, e
44 obras foram selecionadas para participar das mostras competitivas. Além
disso, outros 15 filmes foram escolhidos para as mostras informativas e serão
exibidos nos municípios-sede do festival.
A produção cinematográfica do Rio de Janeiro estará bem
representada com 13 filmes que serão exibidos no Festival. São
eles: na categoria “Longas”, o documentário “Cidade de Deus – 10 anos depois”,
dirigido por Cavi Borges e Luciano Vidigal; “Infância”
filme ficção de Domingos Oliveira. Na categoria “Vídeos de bolso”, está o
carioca Rodrigo Morais, com o vídeo “Repórter isso”; e
 nos videoclipes, “Miudinho” de Cláudio Roberto.
Cine2BPaissandu2C2Bum2Bdos2Bfilmes2Bcariocas2Bno2BCurta SE2B 2Bfoto2BdivulgaC3A7C3A3o Curta-SE 2014
“Cine Paissandu: histórias de uma geração”, um dos filmes
cariocas no Curta-SE (foto: divulgação)
Na categoria
curta-metragem, a animação “Paleolito” de Ismael Lito e Gabriel Calegario; “Todos
esses dias em que sou Estrangeiro” Eduardo Morotó;
O clube” de Allan Ribeiro e o documentário “Cine
Paissandu: Histórias de uma geração” de Christian Jafas.
Essa será a primeira exibição
do meu curta no Nordeste. Debater, discutir e fomentar o cinema é algo
extremamente importante para o fortalecimento da cultura nacional. Esses
festivais reúnem realizações de todo o país e é possível trocar experiências,
pescar novas ideias e fazer contatos

afirma o cineasta Christian Jafas.
Nas mostras
informativas, serão exibidos mais dois filmes de Domingos Oliveira, “Primeiro
dia de um Ano qualquer” e “Paixão e Acaso”, além do documentário “Médium”,
documentário, de Mônica Demes. Já nos curtas, dois documentários representam o
estado do Rio: “Lapa: Segredos e outras drogas” de Pedro Murad e “Saudade(s)”
dirigido pela niteroiense Luana Dias, também editora do jornal CASA DA GENTE.
“No
ano passado, meu primeiro filme, intitulado “Um deserto ondulado”, foi exibido
no Curta-SE. Estou muito feliz por ter mais uma oportunidade de poder mostrar
uma obra independente no Festival, que tem um ambiente maravilhoso de troca e
diálogo entre estreantes e veteranos no mercado cinematográfico”, conta Luana
Dias.
Felicidade
O
Festival tem o conceito de felicidade como o tema central da 14ª edição. O tema
“Felicidade é…” surgiu a partir de uma leitura acerca do conceito ‘FIB’ –
Felicidade Interna Bruta – criado em 1972 pelo rei butanês Jigme Singya
Wangchuck para retratar a realidade de seu país. Na época, o rei foi
questionado sobre não acompanhar o modelo de desenvolvimento ora apregoado como
“correto”. Mas, desde então, a FIB tem chamado a atenção de um número cada vez
maior de pessoas e será discutido no Curta-SE 14.
De acordo
com a diretora Executiva do Festival, Rosângela Rocha, trabalhar esse conceito
remete a uma visão holística de diversos aspectos da sociedade. “A
Felicidade Interna Bruta, quando compreendida na prática, revela uma grande
capacidade de promoção do bem-estar social, ambiental e cultural.
Ela
foi desenvolvida a partir de uma visão holística e sistêmica e se revela muito
mais que uma mera linha de pensamento: trata-se de uma estrutura calcada na
ciência e no empirismo, que sugere que a busca pelo proclamado ‘desenvolvimento
sustentável’ seja orientada por um caminho de desenvolvimento psicológico,
cultural e espiritual”, destaca.
O conceito
foi desenvolvido após três conferências realizadas no Centro de Estudos do
Butão, as quais reuniram economistas e cientistas empíricos de vários países
para identificar os fatores primordiais para a felicidade – abrange nove
dimensões: bem-estar psicológico, saúde, uso do tempo, vitalidade comunitária,
educação, cultura, meio ambiente, governança e padrão de vida.
Rosângela
ainda destacou que mostrar a FIB é uma sequência dos temas que vem sendo
trabalhados nas edições do Festival. “O Curta-SE traz um assunto para
chamar a atenção de como poderemos contribuir com nossa reflexão no mundo, que
já trouxe, em 2012, ‘O Futuro que Queremos’, em 2013, “Cidades
Criativas”, desta vez, traz ‘Felicidade é…’, para que as pessoas se
percebam os fatores primordiais para a felicidade que quer para si e para os
outros”, explica a diretora.
O
festival acontece de 8 a 13 de setembro nas cidades Aracaju, São Cristovão,
Laranjeiras e Estância e tem o apoio do Canal Brasil, Infonet, Instituto
Canadá, Pontão de Cultura Digital Avenida Brasil, Revista Preview, Cia Rio,
Secult, Oceanário, Mistika, Fórum dos Festivais, ABCA, Conselho Nacional de
Cineclubes, Shopping Jardins, Federação Internacional de Cineclubes, Via Mídia
e KJM Telecom. O apoio cultural é do Cinema Vitória e da rede Cinemark, com
patrocínio da Petrobras e realização da Casa Curta-SE.

Tagged: , , , , ,