Alunos de
escola pública estadual de Niterói
participarão de campeonato de proficiência em língua chinesa
Alunos2Bselecionados2Bpara2Bo2BChine2BBridge2B 2B25 07 20162B 2BFoto2BCarlaile2BRodrigues2B2528482529 De Niterói para a China
Dois alunos do Colégio Estadual
Matemático Joaquim Gomes de Souza – Intercultural Brasil-China, em Niterói,
estão se preparando para conhecer a China e participar, pela primeira
vez, de um concurso cultural de proficiência em língua chinesa, o Chinese
Bridge. Eles vão representar o Rio de Janeiro no campeonato mundial ao lado de
jovens de todo o mundo.
Filipe Berbeti, 16 anos, e Gabriel
Mello, 15 anos, foram selecionados na etapa nacional do concurso. No dia
da apresentação, ambos mostraram seus conhecimentos da cultura chinesa,
disputando com alunos de São Paulo, Pernambuco e Rio Grande do Sul. Felipe
produziu um teatro de sombras, feito com as mãos, muito conhecido em terras
orientais. A performance rendeu o segundo lugar nacional e uma vaga para
competir no Chinese Bridge. Já Gabriel fez uma dança do leque e ficou em
terceiro lugar. Por conta disso, ele vai acompanhar a comitiva carioca, na
China, como observador. 
Para conseguir tal mérito, eles se
empenharam bastante e fizeram muitas pesquisas, sendo orientados pelos
professores da escola. No entanto, estudar a língua chinesa não é novidade
nesta unidade, criada em 2014 por meio de uma parceria da Secretaria de
Estado de Educação do Rio de Janeiro (Seeduc) e a Universidade Normal de Hebei,
na China. O próprio corpo docente do colégio conta com professores brasileiros
e chineses.
Esta será a segunda vez que o colégio
participa do Chinese Bridge. Em 2015, três alunos desta unidade levaram a
bandeira brasileira ao principal evento do mundo de proficiência em língua
chinesa, sendo a primeira escola pública de Ensino Médio do Brasil que
concorreu a tal premiação. 
O Colégio Estadual Matemático Joaquim
Gomes de Souza – Intercultural Brasil-China está instalado na Casa da Princesa
– onde ficavam hospedados membros da nobreza no século XIX – em Charitas,
Niterói, e foi primeira escola pública do país com foco em Ciências Exatas –
Química, Física e Matemática – e proficiência em Inglês e Mandarim.