Moradores e pescadores de Piratininga puderam conferir planta da nova unidade, que oferecerá cursos de capacitação e especialização

Governo do Estado apresenta projeto do Centro de Estudos e Pesquisas em Aquicultura e Pesca
Felipe Peixoto e Mirinho Braga, presidente da Fiperj,
explicando o projeto aos presentes (foto divulgação)
A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca (Sedrap) apresentou na manhã desta quinta-feira, 4, o projeto do Centro de Estudos e Pesquisas em Aquicultura, Pesca e Ambientes Aquáticos (Cepapa), em Piratininga, na Região Oceânica de Niterói. Lideranças comunitárias e de pescadores locais puderam ver na planta como será ocupado o terreno de 2,8 mil metros quadrados às margens da Lagoa de Piratininga, onde funcionava um Iate Clube. A nova unidade da Fundação Instituto de Pesca do Estado do Rio de Janeiro (Fiperj, vinculada à Sedrap) oferecerá cursos de capacitação e até pós-graduação, funcionando como escola para pescadores e outros profissionais com atuação no segmento, como biólogos e oceanógrafos, além de atuar no monitoramento da água da lagoa.
 Com estimativa de custo de R$ 9 milhões, o projeto prevê a construção de salas de aula, laboratórios e equipamentos de pesquisa, biblioteca especializada e auditório em uma área total de 2,3 mil metros quadrados em dois pavimentos. Resultado de mais uma parceria do Governo do Estado com o Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA), o projeto executivo de arquitetura e urbanismo, orçado em R$ 220 mil, está sendo feito pela Arqhos Consultoria e Projetos, vencedora da licitação, e deve ser concluído ainda este mês. A próxima fase é a de licenciamento e captação de recursos.
 Diretor da Colônia de Pescadores Z-7 (Itaipu), Auriosvaldo José Almeida, o Barbudo, de 66 anos, parabenizou a iniciativa, ressaltando a importância de pesquisas na área e do auxílio a pescadores para que possam cultivar peixes e mariscos.
 

Perspectiva%2BCepapa Divulga%C3%A7%C3%A3o%2B2 Governo do Estado apresenta projeto do Centro de Estudos e Pesquisas em Aquicultura e Pesca
Projeto de como será o Cepapa (foto divulgação)

“Hoje a pesca requer um esforço muito grande. Por isso, o pescador precisa ter em mente o cultivo como uma alternativa para suprir essa necessidade, e a proximidade do Cepapa vai permitir isso. Também estamos na expectativa pelos cursos que vão ensinar a agregar valor ao pescado, aumentando a renda” afirma o pescador.

 Para Mirinho Braga, presidente da Fiperj, a ideia é que o Cepapa seja um centro de referência no setor. Ele também acredita que a maricultura (criação de animais aquáticos, como mariscos e mexilhões, em ambiente marinho) é o futuro do segmento.
 “Além de oferecer cursos de extensão na área voltados para pescadores e moradores, o Cepapa pretende atuar na produção de sementes de mexilhões e ostras, as fornecendo em pequena escala para esses profissionais. O pescador precisa ter uma alternativa para manter sua renda, e, nesse sentido, podemos dizer que a maricultura é o futuro da pesca, é o caminho do desenvolvimento do setor” informa Mirinho, destacando ainda a maricultura como um atrativo turístico que pode ser explorado na região.
 À frente da Sedrap quando o projeto foi idealizado, o deputado Felipe Peixoto também participou do evento e destacou a importância do empreendimento para o crescimento da Fundação e o desenvolvimento do setor.
 “A Fiperj já evoluiu muito na área de assistência técnica, mas pode avançar ainda mais na de pesquisa e produção com o Cepapa. Estou muito feliz e impressionado com toda a estrutura pensada para atender pesquisadores, pescadores e toda a comunidade” disse, se propondo a auxiliar na viabilização do projeto junto ao governador e entidades públicas de financiamento.
 De acordo com o pesquisador da Unidade de Pesquisa da Fiperj em Guaratiba, José Seixas Teixeira, o empreendimento pretende trabalhar ainda a educação ambiental, por meio de cursos voltados para a população no entorno. “Só assim conseguiremos avançar na preservação de nossos recursos naturais. Muitas vezes a pessoa não cuida por falta de conhecimento. Essa integração com a comunidade será muito importante inclusive para o monitoramento da lagoa”.
 Participaram do evento o diretor da Puma (Piratininga Unida Moradores Associados), Gilson Cesar; o presidente do Conselho Comunitário da Região Oceânica de Niterói (CCRON), Gonzalo Perez Cuevas; o presidente da Colônia Z-7, Yllke Cristiano Branco Almeida; o presidente da Associação Livre de Aquicultura e Pesca de Itaipuaçu (Alapi), Paulo Cardoso; o diretor do Mercado de Peixe São Pedro, Atílio Guglielmo; a chefe de divisão do Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA), Ludmila Paiva (representando a superintendente federal da Pesca e Aquicultura no Rio de Janeiro, Suely Amaral); o subsecretário municipal de Pesca e Aquicultura, Adelino Fernandes; representantes da Sedrap, pesquisadores e técnicos da Fiperj, entre outros.