DSC 0012 SEBRAE mostra números na parceria das Olimpíadas
Há menos de seis meses do início das Olimpíadas, Francisco
José Marins, do SEBRAE, fala com exclusividade ao “CASA DA GENTE”, da
importância da parceria com o COB – Comitê Olímpico Brasileiro – que durante mais
de dois anos vem trabalhando para o sucesso do evento.
As pequenas empresas brasileiras estão participando
de maneira efetiva das concorrências abertas pelo Comitê Rio 2016. Graças à
parceria com o Sebrae, que criou o Projeto Sebrae no Pódio para qualificar as
pequenas empresas visando prepará-las para este cenário, as oportunidades para
o fornecimento de produtos e serviços foram divulgados em todo o país e colheu
excelentes frutos.
Francisco2BMarins2 Hyrin25C325A9a2BBorn25C325A9o SEBRAE mostra números na parceria das Olimpíadas
De 2013 pra cá, cerca de 7 mil empresas clientes do
Sebrae se cadastraram no Portal de Suprimentos do Rio 2016 que conta hoje com
um total de 11.957 empresas. Desse montante, 1.060 empresas participaram das
concorrências e 650 fecharam contratos ou pequenas vendas.
O programa de qualificação do Sebrae no Pódio
abrange temas como Gestão, Planejamento Estratégico, Técnicas de Negociação,
Estratégias Empresariais e Formação do Preço. O Projeto não vai parar por aí: o
foco neste ano será a abertura de novos mercados e parcerias nacionais e
internacionais. “ Não podemos deixar este trabalho consistente de qualificação
se perder no tempo. Competições como os Jogos de Inverno, que vão acontecer na
Coréia. Copa do Mundo em 2018. Olimpíadas no Japão em 2020, são exemplos de
eventos que poderão oferecer oportunidades para as pequenas empresas. Além
disso, temos certeza que com o reaquecimento da economia, as áreas de compras
de grandes empresas brasileiras precisarão cada vez mais de fornecedores
preparados e qualificados”, diz o Coordenador Nacional do Projeto Sebrae no
Pódio, Francisco Marins.
Ele complemente dizendo que nos próximos meses, as
ações dos projetos estarão voltadas para a realização de sessões de negócios e
aumento da rede de relaciomentos num projeto que se chama CASA RIO. “Neste
espaço provocaremos encontros entre empresas, consulados, câmaras de comércio e
instituições que estejam buscando relações comerciais com as empresas
brasileiras”, destaca Francisco Marins.
Ainda há oportunidades para quem desejar
participar, pois o cronograma de compras prevê necessidades também nas cidades
que abrigarão o futebol feminino e masculino. Demandas como eventos,
alimentação, transporte, turismo são alguns exemplos que se pode destacar.