20002Bmetros2Btunel2B 2Bfoto2BLuciana2BCarneiro TransOceânica: obras seguem e túnel poderá ser atravessado a pé em junho
Parte integrante da TransOceânica, o túnel
Charitas-Cafubá atingiu no final de maio a marca de 2.000 metros de perfuração
somando as duas galerias. Para celebrar a data, o prefeito de Niterói, Rodrigo
Neves, acompanhado do vice-prefeito Axel Grael, secretários municipais e
vereadores, fez uma visita às obras. O chefe do Executivo municipal reafirmou
que, em junho, será possível atravessar todo o túnel a pé. Segundo ele, as
obras do túnel são aguardadas há 70 anos.
“Estamos tirando do papel um projeto falado há 70 anos. Depois de
70 anos, vamos atravessar o túnel Charitas-Cafubá. Isso é algo extraordinário,
que nos deixa mais confiantes, mais animados e esperançosos de que o futuro
será melhor que o presente e o passado. Tudo isso é fruto de muito trabalho.
Montei quatro grupos de trabalho e todas as equipes, da Procuradoria,
Meio-Ambiente, Urbanismo e Obras, estão de parabéns. Derrubamos a ideia de se
fazer pedágio no túnel. O projeto tem um conceito muito bem estruturado. Ele é
mais do que uma obra viária. Não pensamos apenas em um túnel sem pedágio e sim
em um projeto de transporte público que mude o paradigma da mobilidade. Teremos
o BHLS, que vai vir do Engenho do Mato até Charitas em um corredor de
transporte e as pessoas vão levar 20 minutos para fazer o trajeto. Tudo com
mais conforto, pontualidade, mais qualidade. Vamos resolver o problema de eixos
saturados na cidade, como a Roberto Silveira e o Largo da Batalha e retirar 30
mil veículos de circulação”, disse.
A secretária municipal de Urbanismo e Mobilidade Urbana, Verena
Andreatta, afirmou que o projeto da
 TransOceânica virou realidade.
“O projeto era esperado há décadas. Hoje ele é realidade e um
grande orgulho. Vamos integrar duas regiões da cidade, a
 Oceânica e a das praias da baía, e essa integração vai mudar
a configuração urbana de Niterói. A
 TransOceânica vai melhorar a vida
de todos, as pessoas vão ter condição de trafegar entre as duas regiões em
menos de meia hora em um sistema novo que vai dar qualidade aos usuários do
transporte coletivo. Uma infraestrutura urbana chega a Niterói requalificando
todo bairro por onde passa, principalmente na Região
 Oceânica, com uma integração intermodal com a estação das barcas”, declarou.