bruno2BLessa2B 2Bfoto2Bdivulga25C325A725C325A3o Vereador Bruno Lessa (PSDB) presta contas do seu mandato
O vereador Bruno Lessa (PSDB) prestou contas do
seu mandato, em um evento que reuniu centenas de pessoas, formadores de opinião
e figuras expressivas de diferentes segmentos da sociedade.

Essa não é a primeira vez que Bruno Lessa
apresenta suas principais proposições aos niteroienses. Desde 2013, o
parlamentar vem elaborando um material impresso onde trazia um resumo dos seus
principais projetos de lei, requerimentos de informações, ações e representações
na Justiça e no Ministério Público (MP-RJ) respectivamente, entre outros.
Segundo Lessa, a transparência e o diálogo foram duas importantes bandeiras que
defendeu ao longo do seu mandato.  

“Desde meu primeiro ano como vereador, fiz
questão de prestar contas à população. Todos os anos, distribuí um informativo
para deixar os cidadãos cientes de como os representei na Câmara e fui a voz de
todos”, explicou.

Em seu discurso, Lessa falou também do combate à
corrupção e a busca pela transparência na administração pública: “nesses três
anos e meio, sempre me empenhei em fiscalizar a aplicação dos recursos
públicos, ser o vereador da transparência.  Tenho a certeza que só vamos
acabar com a corrupção quando a prefeitura for 100% transparente. Acredito e
trabalho por isso”, explicou.

Lessa relembrou o trabalho que realizou a frente
da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Ônibus,
que presidiu logo no início do mandato,  quando abriu a
“caixa-preta” do transporte público e que propôs três ações
 judiciais para reduzir a passagem nos anos seguintes.

Para fechar, Bruno explicou que mesmo
sendo de oposição ao atual governo, manteve seu
mandato propositivo: “ser oposição não é fácil,
mas não me arrependo. Foram muitas lutas, com vitórias e
derrotas, e a certeza que percorri essa trajetória com uma extraordinária
dedicação, seriedade, ética e transparência. Aprendi muito sobre os problemas
da nossa cidade, e as possíveis soluções. Aprendi, principalmente, 
que a população clama por mudança”, concluiu.